logo_vitale_mini.jpg
Diastase muscular

 

A presença de "diastase" ou separação muscular pode criar a necessidade de estar sempre contraindo o abdome para reduzir seu volume:
diastase_01.jpg
Musculatura normal
 
Os músculos retos (no meio) e os oblíquos (lateralmente) estão firmemente unidos entre si por lâminas fibrosas (fáscias), formando uma "cinta" que segura as vísceras dentro da cavidade abdominal.

 

 

diastase_02.jpg
No final da gravidez
 
Os múculos retos se afastam entre si
para aumentar a cavidade abdominal
e assim dar mais espaço para
o crescimento fetal.

 

 

diastase_03.jpg
Depois da gravidez
 
Como as lâminas fibrosas (fáscias) foram muito esticadas, elas acabam "laceando", deixando assim uma separação permanente entre os músculos retos. Aquela "cinta" que segurava as vísceras
não funciona mais, e elas conseguem
então empurrar o abdome para frente.

 

 

diastase_04.jpg
Durante a abdominoplastia
 
O cirurgião plástico aproxima os músculos retos suturando suas fáscias entre si e
recuperando a funcionalidade daquela
"cinta" abdominal.

 

 

 

 

diastase_05.jpg
Depois da abdominoplastia
 
Essa sutura será permanente
e manterá a "cinta" muscular sempre apertada.
A paciente não precisará mais "segurar a barriga"
para manter sua silueta atraente.

 

Para mais detalhes sobre a cirurgia do abdome (abdominoplastia) clique aqui